Democracia além de eleições.

Acho que boa parte dos problemas de administração pública poderiam ser resolvidos se o gestor, em determinadas situações onde não soubesse o que fazer, simplesmente assumisse que não sabe. Mas como fazer isso se o cara precisa parecer que é melhor do que o outro? E pra ganhar eleição todo mundo sabe tudo!
Se o cara que é candidato se preocupasse em bolar soluções sem a necessidade do poder, veria o quanto as pessoas podem ser cheias de qualidades mesmo não sendo ‘as melhores’, mas ele precisa acreditar nessa mentira de que é melhor pra conseguir um empreguinho e poder mandar.
Enquanto o calendário eleitoral se repete a cada quatro anos, perdemos oportunidades de criar alternativas de trabalho e empreendimento por conta dessa máquina de construção de vaidades e dependências.

Para esclarecer minha posição sobre o impeachment da presidente.

O problema fundamental que vejo é o fato do PT ser um partido anti-democrático. Por que? Porque usa a democracia como forma de se permanecer no poder eternamente. ‘Ah, mas os outros também fazem isso’. Ok, se fizerem, não vão ter também o meu consentimento e se tentarem permanecer usando as mesmas armas que vem sendo usados pelos atuais governantes defenderei também o seu afastamento.
Portanto, é óbvio que sei que a linha sucessória da presidente, sendo deposta, não é composta de pessoas, digamos, tão confiáveis do ponto de vista da honestidade. Isso é óbvio para quem lê um pouquinho.
O fundamental é acreditar na capacidade das pessoas se autogovernarem. Não tá bom, sai. É essa novidade da democracia. Não é o sistema representativo baseado na continuação da guerra por outros meios, é a democracia como modo de vida o que interessa. Como processo de desconstituição de autocracias, de poderes separados da sociedade e que querem conduzi-la.
Podem dizer que isso é uma ideia. Sim é uma ideia, mas foi posta em prática quando foi inventada há muito tempo pelos gregos que simplesmente depuseram o tirano que governava até então. Um ato pacífico.
Por isso, não acredito em salvadores da pátria. Quem assumir a condução do governo após a deposição da presidente vai ter muito trabalho e turbulência. Talvez nem dure muito tempo a transição por conta das investigações da Lavajato que podem respingar nos novos personagens. O importante é que as pessoas estão atentas e não aceitam mais discursos vazios. A mudança já está ocorrendo.

Chapa-branca não.

Eu vejo os amigos mais novos, boa parte deles entusiasmados com as ideias de esquerda, e me lembro desses tempos quando também era. Envelheci, eu sei, mas continuo não gostando de gente que quer se perpetuar no poder.
Vejo que as mudanças de muitos daqueles que ficaram mais velhos como eu foram pra pior. Acho que o poder envelhece. Pior. Entristece.

http://spotniks.com/como-os-formadores-de-opiniao-tratavam-o-impeachment-nos-tempos-de-collor/

‘Perdemos a vergonha diante do mundo’ – James Hillman

Eu sinto vergonha por tudo que esse país virou. Vergonha de conviver num universo de valores onde a mentira, se usada para fazer derrotar o outro, é justificável. Vergonha de ver a ambição desmesurada ser vendida como bom-mocismo. Vergonha de ver o rótulo suplantar a relação.

Como pessoa vivendo nesse locus de incompreensões, sinto vergonha de não alcançar a compreensão do meu próximo, de ser essa pessoa contraditória e de não ‘ajudar a construir UM caminho’.

Sinto vergonha, sim, mas não sinto culpa.

21/05/2015